Consumidores e “Prosumidores”

Um dos desafios do marketing é o de compreender seus consumidores para poder se conectar a eles, em um estudo chamado Ecossistema de Marketing & Mídia 2010 foi constatado que, quatro em cada cinco profissionais de marketing acreditam que percepções sobre os clientes são mais importantes agora do que há cinco anos e serão ainda mais nos próximos anos e, a grande maioria, acredita que oferecer informações únicas sobre os clientes cria vantagem competitiva pois pode se identificar as mídias certas a serem utilizadas alcançando maior eficiência e eficácia.

Uma grande mudança nesse aspecto é o diálogo entre consumidores sobre as marcas, ao estimular e monitorar esses diálogos os profissionais de marketing estão identificando e reunindo “advogados de marca” que são pessoas que recomendam produtos e serviços a outras, essa defesa de uma marca é hoje o objetivo mais importante do marketing. Segundo Dave Morgan fundador e presidente da Tacoda, o marketing vai consistir em alavancar e ativar grupos de consumidores, transformando consumidores em prosumidores tambem chamados de evangelizadores de marca, pessoas motivadas que utilizando de ferramentas para enaltecer a marca para parentes, amigos e ate mesmo conhecidos, esses evangelizadores podem ser elementos chave em uma campanha. Para criar evangelistas é preciso compreender o consumidor, para compreender o consumidor é preciso observá-lo, não é a toa que um dos lemas do Google é: clientes, clientes, clientes..

Esse diálogo proporciona a capacidade da empresa entender o que os consumidores querem, quando e onde. A publicidade hoje se faz oferecendo experiência com o usuário, aplicação e serviços que os consumidores realmente desejam.

Alguns exemplos práticos.


3 comentários sobre “Consumidores e “Prosumidores”

  1. Parabéns pelo POST, e talvez a questão esteja mais além, talvez os especialistas de marketing deverão trabalhar para mais para consumidores que para empresas.
    Iremos viver cada vez mais tempos de compradores que de vendedores. Quanto às marcas, as concebidas por empresas, assim que lançadas, estarão deixando de lhes pertencer, neste exato momento, estarão perdendo o controle sobre elas e, obviamente, sobre um pedaço da própria companhia.
    Quem achar que isso é bom sobreviverá na abundância.

    Abraços

  2. cheers for the actual article i’ve recently been on the lookout with regard to this kind of advice on the net for sum time proper now so numerous thanks ecddgdgeaadd

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s